Quando é hora de seguir para o próximo destino?

Eu estava no começo da minha viagem e essa era uma pergunta que era difícil responder para mim mesma, pois ao mesmo tempo que queria conhecer muitos lugares novos, eu gostava mesmo era de interagir, gastar mais tempo explorando com os locais, e quanto mais tempo eu ficava mais queria ficar. E sempre era a mesma ladainha, a tristeza no falar tchau.

Quando estava no meu terceiro mês na estrada, encontrei a Gil, do Girls Go, no aeroporto a caminho da Maldivas. Nos conhecemos e foi amizade a primeira vista 🙂 Quando soube que (na época), ela estava indo para o seu 90 país viajando logo soltei a pergunta: “Mas como você sabe que é hora de seguir para o próximo destino? ” E ela, com um sorriso no rosto me disse: “Só você vai sentir quando é hora de partir.”

Não era a resposta que eu esperava, claro, queria uma pronta. Ainda mais sem roteiro definido. Na hora não entendi muito, pois como disse, a minha luta era sempre em querer ficar, e na verdade eu sempre seguia viagem quando via que tinha ficado muito tempo (o que na época considerava muito, 7 dias) num lugar.

Palau Kapas – Malásia (jul/2018)

Tive que partir pois tinha um visto me esperando na Índia, e dali comecei a perceber que a resposta faz todo sentido. Tem lugares que seu coração se conecta de uma tal maneira que você quer ficar, outros que você sente que já viu tudo que precisava e já é hora de ir. Outros que a expectativa era maior que a realidade, e outros que você não tinha expectativa e foi uma surpresa boa.

Passei 2 meses na Tailândia, 2 meses na Malásia, 2 meses na Itália. Voltei para o Brasil e foram 2 meses em Pernambuco, 3 no Pará e agora vamos ver o que virá:)

No começo me culpei por ficar tanto tempo num só país enquanto na minha timeline, todas as fotos eram cada dia num lugar diferente. Soube respeitar meu tempo, meu momento de ficar e meu momento de partir. Aconteceram vezes de chegar num lugar e não querer ficar, surtar e comprar uma passagem para uma ilha que nunca tinha ouvido falar, como fui parar em Langkawi. E também querer ficar e ter que sair por causa de permissão de visto.

Temos que parar de ficar nos comparando com os outros e ouvir o nosso tempo. Rever o nosso objetivo. E se abrir para as aventuras que estão por vir.

Tá na dúvida? Revê seu plano. Porém lembre-se que nada está escrito em pedra, se abra  para as oportunidades que aparecem na jornada e posso te dizer que sempre tem algo surpreendente no caminho.

Penang – Malásia (jul/2018)

Concorda ? Tem alguma dica? Compartilha aqui sua experiência sobre momento de partir 🙂

Deixe uma resposta


À Procura de Algo?